quinta-feira, 29 de abril de 2010

.:: Dodoi ::.


- Mãe, ta doendo.
- Vem cá, filhinha. Deixa a mamãe ver.
[pausa]
- Puxa, que buracão, hein. Parece que não sobrou muita coisa ai.
[olhar assustado]
- Vamos cuidar disso?
- Mas ta doendo!
- Eu sei! Mas se você não cuidar agora, pode piorar.
- Dói demais. Olha direito. Não sobrou nada mesmo?
- Deixe-me ver.
[olhar atento e confuso]
- Como você pôde deixar que chegasse a esse ponto? Você deveria ter prestado mais atenção aos sinais.
- É... Eu sei...
[olhar triste]
- Ainda vai doer muito, mãe?
- Vai, filha.
- Quanto tempo?
- Muito tempo.
[pausa]
-Tem certeza que vai passar?
- Ah, sim. Agora pode parecer que não. Tudo pode parecer dolorido demais, turvo demais, inexplicável demais. Mas uma hora passa.
Uma hora passa...

Devolve, moço























segunda-feira, 26 de abril de 2010

.:: A Vida é Tão Rara ::.

Era início de outono.

Deitada na rede vendo o dia passar, a menina sorria. Os olhos fechados, a brisa bagunçando levemente os cabelos, um livro nas mãos... Mas não conseguia ler. Lembrava o som das cordas dedilhadas e ouvia "Vou aprender essa pra gente... "
Abriu os olhos, levantou, largou o livro na rede e descalça andou pela grama úmida. O ventinho gelado a fazia arrepiar. E mais uma vez sorria. Gostava da sensação.

"... E quem quer saber? A vida é tão rara...Tão rara..."

Era início de outono e a menina sonhava. E desejava que seus sonhos se tornassem realidade: ver aquele sorriso lindo se abrindo só pra ela, aqueles olhos brilhantes e encantadores olhando seus olhos, aquelas mãos segurando as suas. Queria ele ali com ela, sentindo o que ela sentia. Vivendo o que ela vivia.

"... Será que é tempo que lhe falta prá perceber? Será que temos esse tempo pra perder? E quem quer saber?..."

De repente o vento parou, juntamente com seu coração. Longos braços quentes a envolveram pelas costas. Sentiu aquele cheiro caracteristico, só dele, inebriando sua alma. Seu sorriso se alargou ainda mais. Virou-se e viu, bem ali, seu sonho materializado.

Era início de outono, mas em seu coração... Ah, em seu coração.. Já era primavera.


terça-feira, 20 de abril de 2010

.:: Ponto Final ::.


A história começa.
Parágrafo, letra maiúscula.
As palavras discorrem sem maiores problemas ou complicações. Segue cheia de aventuras, sorrisos, diálogos. Exclamações, interrogações, reticências...

É uma história de amor e como qualquer história de amor, muita coisa acontece. Troca de olhares, palavras doces, sorrisos, torpedos no meio do dia, encontros semanais, beijos amáveis, beijos quentes, sussurros, abraços aconchegantes, química, mais sorrisos, mais beijos, identificação, boa comida, bons restaurantes, filmes nem sempre tão bons assim, ótima companhia, telefonemas, passeios, apelidos carinhosos, canções, jogos, brincadeiras, identificação, mais olhares, muitos olhares, presentinhos, bilhetinhos, sonhos compartilhados, planos feitos, futuro traçado.
Exclamações, interrogações, reticências...
O tempo passa. A história continua. Diálogos, perguntas, respostas. A incompreensão começa. Uma palavra atravessada, uma ligação não feita, perspectivas diferentes, uma tonalidade de voz diferente, a distração, a confusão. Brigas e reconciliações. Uma atitude em momento indevido, uma cobrança. Mais cobranças. Desentendimento de um, incompreensão de outro, dedicação de um, esquecimento do outro. Ausência. Troca de ofensas, mais brigas, menos reconciliações, coração partido de um, orgulho do outro. Choro de um, indiferença do outro. Troca de responsabilidades. Insultos. Egoísmo. Olhares em diferentes direções. Chateações. Mágoa.
O adeus.
Choro. Lágrimas. Dor. Muita dor. Muitas lágrimas.
Ponto final.
Hora de virar a página.

Mas um ponto final não quer dizer necessariamente o fim de uma história. Ele pode significar apenas a mudança de uma frase pra novo parágrafo.
Exclamações, interrogações, reticências...

E a história recomeça.
Parágrafo, letra maiúscula...


segunda-feira, 19 de abril de 2010

.:: Oro ::.




Senhor, ajuda-me a ouvir a TUA voz acima da voz do meu coração.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

.:: Just thinking ::.


Essa semana estava sentada na cama olhando O Desejado de Todas as Nações e folheando aleatoriamente enquando conversava com D-s. Um hábito. Ai meus olhos bateram num trecho grifado que dizia:


A BENÇÃO VEM QUANDO, PELA FÉ, A ALMA SE ENTREGA A D-S.


Sabe o que eu queria de verdade? Entregar TUDO nas mãos de D-s e ESQUECER. Entregar minhas dores, meus medos, minha culpa, meus sentimentos, meu coração.

Onde encontro fé para isso?


segunda-feira, 12 de abril de 2010

.:: Ah... Aquele Sorriso... ::.

Já aconteceu com você de sentir uma empatia instantânea? De bater os olhos em alguém e “PUF!” Paixão a primeira vista?!
Isso aconteceu comigo em dezembro passado. Ele foi me mostrado ainda de longe, e a partir daí, de todas as pessoas do shopping, eu só tinha olhos para ele. Me distraia um pouquinho, e lá estavam meus olhos novamente nele, fascinados por aquele sorriso. E que sorriso!
Desde o momento em que chegou, até o termino da apresentação, ele estava lá estampado naquele rosto bonito. O sorriso mais fantástico que já vi. E por causa dele meu coração transbordava. Ao olhar pra ele, eu cantava com maior entusiasmo motivada por aquele rosto.
Nunca me senti dessa forma. Era como se já o conhecesse a tempos porque senti uma proximidade indescritível. Mas não. Eu não o conhecia. Nunca o tinha visto. E ele estava lá com aquele sorriso largo, como uma criança que acaba de receber o presente mais desejado. Aquele sorriso fez meu coração bater mais rápido e sentir meu rosto corar, me trazendo paz e me fazendo sorrir também.
Que sorriso!
No fim da apresentação, para minha surpresa, fomos apresentados. Conheci o homem sorriso. Meu coração ficou eufórico. Ser apresentada a alguém que, mesmo sem saber, me fez sentir feliz, não tem preço.
Já fazem 4 meses desde a primeira vez que o vi. Mas quando fecho os olhos, ainda vejo aquele senhor de bigode grisalho e braços cruzados no peito sorrindo. Sorrindo sempre.



PS: Ainda sinto algo indescritível quando tenho a oportunidade de ver de novo aquele sorriso...

domingo, 11 de abril de 2010

.:: Se ::.


Se eu pudesse escolher,

Você seria “ele”,

E eu te mandaria flores de todas as cores

Para alegrar seu dia.


Se você fosse “ele”,

Te cobriria de beijos cheios de desejo.

E te diria baixinho sobre todo meu carinho.


Se você me aceitasse, se você me amasse,

Te daria tudo o que você mais almejasse.


Se aquilo que desejo se tornasse realidade,

Você seria verdade e não mais o meu segredo.


Se eu pudesse contar que te quero e que te venero,

Quase não me recupero, afinal...


Se eu pudesse escolher,

Você seria eu,

E eu seria você!



[05/2008]

sexta-feira, 9 de abril de 2010

.:: Resgate ::.


Hoje acordei super cedo. Bem mais cedo que o normal. E ao invés de ficar pensando nos meus sonhos, como a maioria das vezes, parei pra pensar em Deus, no que Ele tem feito em minha vida, muitas vezes até sem que eu perceba.

Foi muito bom constatar que aquilo que eu achava uma grande tragédia, Deus transformou na maior benção. Precisei sofrer uma grande privação para compreender aquilo que estudei semanas atrás na lição da Escola Sabatina, que falava sobre alegria, e que não fez sentido algum na época. Percebe a benção?

Vivo hoje o que é ter alegria em Deus. Não importa o tamanho da minha tristeza, ainda posso sentir o Seu amor e sorrir. Sei que, mesmo quando não enxergo nada, Ele esta bem ali, do meu lado, limpando meus olhos pra que eu veja. Sou grata, mesmo em meio a tormenta, porque quando não via luz alguma no buraco em que me coloquei, no buraco que eu mesma me joguei, pude enxergar Suas mãos estendidas pra me resgatar. Grata por sentir o Seu amor mesmo em meio a tantas e tantas lágrimas. Por enxergar Suas próprias mãos em minhas mãos. Grata por me abraçar e me resgatar.



“Muito obrigada, Senhor!”



26/03/2010 - Sexta-feira

by A.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

.:: Pedro ::.

Neste fim de semana de Páscoa, lendo o relato das horas que antecederam a morte de Jesus, parei em Pedro, quando decepa a orelha de um soldado. Ele era assim, falava sem pensar, agia quando deveria parar, parava quando deveria agir, tomava atitudes que não parecia tão normal aos outros, às vezes era violento, mas Ellen G. White, em seu livro “O Desejado de Todas as Nações” o chama de “generoso e impulsivo.” Ouvi 2 vezes me chamarem de inconstante, mas não creio que seria essa a palavra que me descreveria. Diria que sou IMPULSIVA. Sou assim, sinto raiva, brigo, e 5 min. depois a raiva passa e volto a conversar naturalmente, como se nada tivesse acontecido. E o mesmo acontece quando brigam comigo. Posso ficar sem reação na hora, ficar brava, chorar, mas lá estou eu, minutos depois, conversando com aquela pessoa novamente. Lido bem com essas situações. E por ser assim, muitas vezes penso que as pessoas são da mesma forma. Dias atrás aconteceu algo que me fez voltar ao passado. Um amigo disse q eu era estranha porque eu brigava com ele, e logo em seguida tava lá conversando com ele de boa. E nesse dia em questão aconteceu a mesma coisa... Não briguei, mas brigaram comigo, e eu estava lá, conversando como se nada tivesse acontecido, como se ele não tivesse também me ofendido... Não sou de ficar zangada com alguém por muito tempo. Ajo estranho, mas esse é o meu jeito. Passiva, quieta, às vezes brava, às vezes “inconstante”, falo o que não devo, calo o que preciso falar, brigo com quem não devo, fico quieta quando preciso brigar... Às vezes impulsiva. Assim como Pedro. E como Pedro, quero um dia ser transformada pelo poder e ação do Santo Espírito em minha vida. Sei que isso não vai acontecer do dia pra noite. Mas se eu mantiver um relacionamento diário e constante com Cristo, serei transformada.

by A.

PS: Pelo menos uma vez disseram que pessoas impulsivas eram mais confiáveis pois mostravam aquilo que realmente eram e pensavam, enqto pessoas "calculistas" podem manipular o que querem que as pessoas pensem sobre elas...

video

.:: Unilateral ::.

Eu nunca, nunca acreditei em relacionamentos unilaterais.

Se te escrevo, preciso que você me responda. Se te ligo, preciso que seja educado. Se dou um presente, preciso que se mostre agradecido. Se te procuro e não te acho, preciso que me encontre. Se falo, preciso que me escute. Se peço conselho, preciso recebê-lo. Se penso em você, quero que pense em mim também. Se te abraço, quero ser abraçada da mesma forma. Se te envio um e-mail, preciso saber que leu e se importa. Se confio em você, preciso que confie em mim. Se sou fiel, preciso de sua lealdade.

Mas nem sempre é assim que acontece. Tantas e tantas vezes vamos atrás, ligamos, escrevemos, mandamos recado, scraps, na intensão que a amizade não se torne passado. Só que quando não temos retorno, aquela vontade de preservação começa a passar, até que tudo se extingue e sobram apenas [boas]lembranças.

Que bom que com D-s não é assim. Posso me esquecer de chamá-lo todos os dias, mas ainda assim Ele me procura. Posso traí-lo, mas Ele me perdoa. Posso até deixá-lo, mas Ele nunca me abandonará.

[22/06/2008]

Esses dias tenho pensado bastante na questão da unilaterialidade, lembrando desse texto que escrevi a bastante tempo atrás. Para que exista um relacionamento, é necessário que mais de uma pessoa aja. É como andar. Eu sou uma perna, e vc é outra. Com uma perna apenas, vc até consegue, mas é muito dificil, requer um esforço muito maior. O certo seria, eu dou um passo, vc dá outro. E assim sucessivamente. Ai sim, pode-se chamar de "caminhada". E relacionamento é isso: uma caminhada.

Eu quero caminhar, junto.
Quer ser minha outra perna?

terça-feira, 6 de abril de 2010

.:: Quem sou eu ::.


Quem sou eu? Depende do que quer ver...

Se quer ver uma pessoa fantástica, verá. Se quer ver uma pessoa má, também verá. Eu não sou santa, mas talvez seja interessante. Depende do que quer ver...

Sou bem quieta. Uns dizem tímida, o que me faz parecer metida, outros dizem introvertida, o que me faz parecer antipática. Talvez eu seja mesmo uma mistura dos dois. Só mesmo se aprofundando no conhecimento pra saber.

Sou inteligente. Pelo menos é o que todo mundo diz, não sei se só pra me conquistar ou se é verdade mesmo. Mas acredito quando dizem isso... J

Gosto muito de rir. Quer me conquistar? Seja divertido. Me conte histórias, piadas, contos, fofocas... Me faça rir, gargalhar e faça com que esses momentos fiquem gravados na minha mente para que eu continue sorrindo mesmo passado 4, 5 dias. Gosto mesmo disso!

Também gosto muito de ler. Me distrai, faz a imaginação voar. Quer me dar um presente? Dê livros, sem medo de errar. O que gosto de ler? Tudo! Desde manuais e bulas até ficção científica ou astronomia.

Falando em astronomia, AMO ficar olhando para o céu em noites sem lua, sem nuvens e cheia de estrelas. Achar as constelações é uma terapia pra mim.

E o vento... AMO o vento batendo no meu rosto, fazendo os cabelos e as roupas voarem. Mesmo que esse vento venha “artificialmente”, como andar de moto. Ele, pra mim, se assemelha ao abraço de Deus, e quem não gosta de receber um abraço desses?

Não gosto de falsidade nem mentira. Se não gosta de mim, não precisa chegar perto só pra fazer tipo. E se tem algo que queira dizer, mas não consegue, diga mesmo assim porque, como diz aquele pensamento muito sábio, “Melhor uma verdade que me faça sofrer do que uma mentira que me faça sonhar” .Então fale! Não importa se vai machucar. Eu sou forte, eu sei!

Adoro pessoas confiantes, que não tem medo de fazer o que quer e dizer o que pensa. Pessoas de atitude, que sentem medo, mas que os enfrenta! Se quer, pega logo, não pergunta. Simplesmente faz. Atitude é tudo!

Se gosto de balada? Não sei... Não freqüento. Mas gosto de dormir. Dificilmente alguém consegue me fazer ficar na rua depois da meia-noite. Adoro dormir. Adoro edredom, filme, travesseiros...

E AMO música. Sabe aqueles desenhos animados onde há uma fumacinha com cheiro da comida e o personagem voa atrás dela? Assim sou eu com a música. Há um sonzinho diferente no ar, lá estou eu, de ouvidos aguçados, indo atrás daquele som. E só sossego quando o encontro. Outro bom presente? Música!

Gosto muito de desenhar. Pode não ser os desenhos mais lindos do mundo, mas fazem parte da minha história. Aliás... Adoro a arte em todas as suas formas. Desenho, pintura, esculturas, fotografias, pessoas - sim, porque essas são a verdadeira obra de arte. Arte pra mim é um sonho materializado.

Gosto de conversar, mesmo sendo quietinha. Se você tem assunto, se você é inteligente, é capaz de me fazer ficar horas e horas conversando sem cansar. Inteligência é primordial!

Também gosto de escrever (como se você já não tivesse notado isso). Escrevo poesias, contos, crônicas, cartas, letras de música, palavras cruzadas... Adoro papel e caneta!

Me acho chata, implicante, fria, distraída, folgada, anti-social, perdida, muitas vezes inconstante, mas creio ser uma pessoa de bom coração. Gosto de fazer o bem. Precisando de ajuda? É só chamar.

Poderia continuar com esse texto de (auto) conhecimento, mas quem tem paciência de ler tanta coisa na internet?

Agora... Se você teve paciência para ler tudo isso até o final deve ser porque você seja alguém interessante para eu conhecer... Então, seja bem vindo e deixe seu recado.



A.

[22/02/2009]

.:: Primeiro ::.

Dizem que antes de morrer devemos plantar uma árvore, escrever um livro e ter um filho. A árvore eu já plantei, um livro posso escrever e um filho não depende apenas de mim.
Faz um certo tempo que tenho pensado em fazer um novo blog. Tive um a tempos atrás. Até que era legal. Me divertia com meus leitores.
Então, aqui está um pedacinho da Ale. Vou postar textos escritos por mim, alguns antigos, outros novos, textos de outras pessoas que gosto e que naquele momento me identifico, fotos, imagens, desenhos e vídeos.
Espero que você chore, se emocione, ria, sinta raiva, indignação... E divirta-se!!!
Seja bem vindo!